Filme A Comunidade – Um bom roteiro sem pulso

Filmes sobre conflitos familiares geralmente despertam interesse do público adulto, atento às oportunidades de refletir sobre situações recorrentes nos contextos das famílias, não importa em que grau de latitude elas se encontrem.


A Comunidade
, de Thomas Vinterberg, porém, me fez sair do cinema com certo gosto de “faltou alguma coisa”. O que parecia ser uma tentativa de analisar a construção de um sistema de convivência familiar coletiva na verdade nem roçou essa questão. Reunido muito mais por premências financeiras do que por opões ideológicas, um grupo de amigos – alguns apenas conhecidos – aceita ocupar um casarão cujo proprietário não tem como bancar sua manutenção e decide dividir as despesas.

Passando por alto sobre a questão dos conflitos decorrentes da convivência entre várias pessoas numa mesma casa, o roteiro envereda pela situação criada pelo dono ao acrescentar sua aluna/amante ao grupo, com a concordância – aliás, sugestão – da esposa, na tentativa meio desesperada de ao menos ter por perto o marido e a chance de obter dele alguma atenção e alguns esporádicos momentos do antigo fervor amoroso, com a devida licença da amante simpatiquinha, claro.

Para quem ainda acredita no mito do casamento escandinavo, onde tudo se aceitaria com naturalidade – mito, eu disse – o filme pelo menos é honesto ao mostrar que, na prática, a teoria pode causar muita dor. Dificilmente uma mulher às voltas com os incômodos da menopausa escapa ilesa ao choque de ver o marido encantado por uma jovem de 28 anos, seja no dia-a-dia escancarado de uma comunidade, seja num affair às escondidas.

Mesmo usando o recurso fácil de enfatizar o tom caricato de alguns personagens, o roteiro perde força. E a trilha musical, me desculpem, é bem fraquinha e óbvia. Não é um filme ruim, mas a sensação que fica é que o diretor tinha nas mãos um bom material para ser explorado e se perdeu.

foto-de-rejane

Escrito por Rejane Wilke

A jornalista e escritora Rejane Wilke acaba de aceitar nosso convite para colaborar com comentários sobre filmes. Acompanhe sua visão no espaço “Nas Telonas”. A ideia é trazer sugestões quentes de filmes que ainda estiverem em cartaz quando postarmos no BLOG.

Um comentário sobre “Filme A Comunidade – Um bom roteiro sem pulso

  1. Antonio Accorsi disse:

    Oi Marta
    Legal esse teu blog (pronuncia-se blógue?). Quando imaginaríamos essa quantidade de mídias no nosso tempo? Mas o que eu queria mesmo era dar um oi.
    Manda notícias tuas.
    Abração
    Leco Accorsi

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s